Mostrando postagens com marcador variedades. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador variedades. Mostrar todas as postagens

segunda-feira, 28 de abril de 2014

A História da Pepsi-Cola





PEPSI-COLA





Uma rival forte e agressiva para a Coca-Cola, que busca na nova geração sua gama de consumidores, utilizando astros da música e do futebol em comerciais cinematográficos, ousados e muitos deles provocativos. PEPSI é uma marca autentica cada vez mais percebida pelos consumidores como inovadora, jovem e cheia de energia. Tem um sabor único de cola, que mata a sede e é ótima pra acompanhar qualquer refeição. A PEPSI-COLA é assim. É pura atitude. E incomoda muito a rival avermelhada de Atlanta.


A história
Tudo começou em 1893 quando Caleb Davis Bradham, um farmacêutico da pequena cidade de New Bern, estado da Carolina do Norte, inventou uma bebida chamada “Brad’s Drink” (algo como “bebida do Brad”), feita de água carbonada (gasosa), açúcar, baunilha, aromas de especiarias (canela, cravo e noz moscada), pepsina e extrato de noz de cola. Essa bebida tinha o intuito de suavizar os males causados pelo desequilíbrio do ácido péptico no estômago. Este alívio se obtinha em consequência do extrato de noz de cola e do gás presente na bebida. Seu assistente James Henry King foi o primeiro a provar a nova bebida. Colocada a venda em sua farmácia, seu sabor agradou tanto que os consumidores passaram a consumi-la mesmo quando não estavam com o mal estar péptico. Em 1898, o xarope foi transformado em bebida e lançado oficialmente no mercado no dia 28 de agosto com o nome de PEPSI-COLA (afinal por alguns anos a bebida foi conhecida como “Brad’s Drink”, em referência ao nome de seu inventor), palavra oriunda de seus principais ingredientes (pepsina e nozes de cola), ganhando assim seu primeiro logotipo.



Em 1902, devido ao enorme sucesso do produto, Bradham resolveu dedicar-se a expansão e desenvolvimento do refrigerante, registrando sua patente e fundando a PEPSI COLA COMPANY oficialmente no dia 24 de dezembro. No mesmo ano, surgiu a primeira nota publicitária no jornal New Bern Weekly. Os jornais da época anunciavam a PEPSI como saborosa, revigorante, não prejudicial e que auxiliava na digestão. A empresa em apenas pouco tempo de operação, conseguiu vender aproximadamente 30 mil litros em casas de refrescos locais. Pouco depois, em 1903, a empresa mudou-se da pequena farmácia de Brad para uma fábrica maior em consequência da alta demanda pelo produto. A nova fábrica passou a concentrar todas as operações de engarrafamento da PEPSI-COLA, que em 1905 começou a ser comercializada em garrafas de 177 ml. Ainda este ano, a PEPSI concedeu a primeira franquia de engarrafamento para a empresa Charlotte and Durham, localizada na Carolina do Norte. No ano seguinte a empresa já contava com quinze franqueadas nos Estados Unidos, atingindo produção de 150 mil litros de xarope anuais.



A PEPSI se tornou uma das primeiras empresas a substituir os veículos de entrega, carroças puxadas a cavalos, por veículos motorizados em 1908, modernizando assim seu sistema de distribuição, que se tornou muito mais eficiente. A Primeira Guerra Mundial fez com que a empresa vivesse uma situação financeira delicada, estando à beira da falência em 1923, obrigando Bradham a vendê-la por US$ 30 mil dólares para a empresa Craven Holding Corporation. Depois disso, apesar de Brad ter reaberto sua drogaria e voltado a trabalhar como farmacêutico ficou com os louros de ter criado um dos refrigerantes mais populares do planeta. No ano seguinte, Roy C. Megargel, um corretor de Wall Street, adquiriu após muita negociação a marca PEPSI-COLA por US$ 35 mil, formando assim a PEPSI-COLA CORPORATION. Porém, a troca de comando não adiantou para evitar uma nova crise financeira em 1931, em plena Grande Depressão Americana, quando a empresa foi novamente vendida, desta vez para a Loft Candy Company. O então presidente da nova proprietária, Charles G. Guth, tratou rapidamente de reformular totalmente a bebida.



Em 1934, além de iniciar a venda de seu produto internacionalmente, começando pelo Canadá, onde a marca estava registrada desde 1906, introduziu no mercado a garrafa de 12 onças por apenas cinco centavos de dólar, o mesmo valor pago por 6 onças que era o padrão da concorrência na época. As vendas iniciaram na cidade de Baltimore e o produto foi um sucesso instantâneo. Em plena depressão americana as vendas explodiram nacionalmente, ajudando a empresa a enfrentar até com certa tranquilidade este período tão difícil. Nesse mesmo ano ocorreu a morte de Caleb Bradham, inventor da bebida, aos 66 anos de idade.



No ano de 1938, Walter S. Mack assumiu o comando da empresa e a PEPSI entrou de vez na era do marketing. As operações cresceram rapidamente no início dos anos 50 e a PEPSI lançou inúmeras novidades, como por exemplo, as garrafas PET (tamanho família), a versão dietética do refrigerante, as latas de alumínio, que estrearam no mercado em 1967, além de investir maciçamente em publicidade, para acabar com a imagem de “cola de cozinha” e o estigma de refrigerante barato visto pelos consumidores. Foi então que a marca mudou seu logotipo e a tampinha virou protagonista. A publicidade já não vendia PEPSI pelo preço, mas a apresentava como um estilo de vida. O futuro estava garantido. No final dos anos 70, a marca travou a famosa “Guerra das Colas”, uma disputa que começou publicitariamente entre a PEPSI e a Coca-Cola por percentuais de participação no voraz mercado americano.



Nas décadas seguintes, com a forte internacionalização da marca, o refrigerante foi lançado em sabores e versões que se adaptavam à cultura e aos hábitos dos países em que era comercializado. A maior parte dessas versões foi lançada em forma de edição limitada, isto é, permaneceram no mercado em temporadas que variavam de três a doze meses. Além disso, a marca utilizou grandes celebridades globais para capturar uma nova geração de consumidores. E mais, não parou de ousar e surpreender com campanhas publicitárias pra lá de criativas. Além disso, as inovações se estenderam aos produtos, como por exemplo, recentemente quando anunciou suas primeiras garrafas 100% vegetal, que aos poucos irá substituir a PET.





fonte: Mundo das marcas
www.mundodasmarcas.com.br

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Propagandas inesquecíveis





O primeiro Valisére a gente nunca esquece : Esse comercial estrelado pela atriz Patrícia Lucchesi no ano de 1987, ficou marcado na mente das adolescentes daquele ano. Com jeitinho inocente e surpreso, a adolescente da propaganda demonstrava a sua satisfação e o orgulho de ter ganhado o seu primeiro sutiã. Branquinho, de lycra e muitíssimo delicado, a Valisére conseguiu o seu principal objetivo que era conquistar através desse comercial o público feminino, inclusive conquistando também a protagonista do comercial que aos 11 anos, ainda não usava sutiã, dando um toque todo especial a propaganda, retratando assim, a sensação indescritível de usar o primeiro sutiã.

Veja o comercial da Valisére

Calças Lee: Marca indispensável no guarda-roupa dos oitentistas de plantão, as calças Lee eram sucesso entre as marcas da década. O comercial de 1982, retrata muito bem a preferência pela marca, onde a garota que estrela o comercial não admite que o vendedor a entregue outro tipo de calça. De cintura alta e dos mais diversos tipos de tonalidades de jeans, as calças Lee era um sinônimo de atitude e bom gosto.

Veja o
comercial aqui
Jeaneration Jeans – Marca de jeans alternativo que fez com que seu anúncio publicitário se tornasse um clássico dos anos 80.Através de um elaborado projeto de marketing , com duração de quase 3 minutos, a propaganda retratava o dia a dia de 3 casais, que se deixavam levar pela belíssima canção I feel Good, interpretada pela brasileira Adyel Silva.

Veja o
comercial aqui
Jeans Pool – Magnífica campanha publicitária da Pool lançada em 1988, direcionada tanto para o público masculino como para o feminino. "Pool do gato" e "pool da gata" despertou o desejo de compra em muitos jovens da época. Se já não bastasse o conjunto de imagens ,a cobiça pela marca , e a riqueza dos detalhes o comercial era embalado do início ao fim pela sensacional Wishing Well de Terence Trent D'Arby.

Veja
comercial aqui

Wrangler
– A campanha publicitária da Wrangler , foi ao ar em meados dos anos 80 ao som da maravilhosa balada romântica: Can't take my eyes off you , que originalmente foi gravada em 1967 por Frankie Valli e anos mais tarde foi regravada por diversos cantores e bandas como Boys Town Gang, Gloria Gaynor dentre outros. A protagonista do comercial era Luciana Vendramini , que interpretava uma noviça rebelde que fugia do convento e depois usava as calças Wrangler como sinônimo de liberdade.

Veja o
comercial aqui

Melissinha
- O comerciallançado em 1986 eestreladopela atriz Eliete Cigarini, que se passava por uma professora que sempre parava as suas atividades para dar atenção a uma aluna que mostrava sua veneração pelas sandálias Melissinhas e seus brindes. As sandálias Melissinhas lançaram moda nos anos 80. Além de lindas e confortáveis, tinha um delicioso cheirinho de chiclete e brindes que variavam entre pochetes,estojinhos e relógios,exercendo um verdadeiro fascínio nas garotinhas da época. A sandália se tornou atemporal , completou 31 anos, e ainda é sucesso absoluto.

Veja o
comercial aqui
Cuecas Zorba - E quem não se lembra daquela avezinha saindo da cueca, hein? Outro clássico comercial dos anos 80. De forma descontraída e bastante divertida, a campanha publicitária da zorba utilizava uma ave para demonstrar todo desing e conforto da peça. As cuecas Zorba se tornaram marca fundamental no vestuário masculino da década. Sinônimo absoluto de comodidade e qualidade.

Veja o
comercial aqui
Camisetas Hering - Simples, básica, confortável e atemporal falou em camisetas, pensou camisetas Henring. Com essa campanha publicitária, baseada na juventude dos anos 50 e 60, no melhor estilo rock'n roll , a marca Hering foi retratada nesse comercial como sinônimo de juventude, comodidade e vestir-se bem. Não foi à toa que no ano de 1987 esse comercial ganhou o prêmio de melhor comercial do ano.

Veja o
comercial aqui
US Top - Bonita camisa, Fernandinho. Como esquecer esse bordão, hein? No comercial da US TOP, de 1984,Esse era o elogio que o chefe fazia ao funcionário Fernandinho, sempre que o via com a camisa da marca em questão. Os produtos US TOP ( jeans, camisas e sapatos) se tornou um grande ícone de jovialidade e qualidade.

Veja o
comercial aqui

Kichute
- Feito de lona, preto , com solado de cravos , e com enormes cadarços ,o tênis Kichute era uma mistura de tênis com chuteira que virou febre entre os garotos. Usado tanto para ir pra escola,quanto para a prática de esportes, o calçado se popularizou após a copa de 1970, obtendo seu apogeu entre os anos de 1978 e 1985, onde foram vendidos mais de 9 milhões de pares por ano.

Veja o
comercial aqui

Conga
- Assim como o kichute, os tênis Conga era símbolo de calçados da garotada dos anos 80. De lona, com aspecto colegial e preço acessível, era calçado indispensável para se usar com o uniforme escolar.
Bamba: Assim como o kichute e o conga, o Bamba também se tornou bastante popular. É impossível ter sido criança nos anos 80 e nunca ter usado o tênis bamba.Vermelho, amarelo, azul, branco....enfim, fofo e confortável , era um calçado indispensável para ir pra escola, praticar esportes e passear com a turma.Afinal, como já dizia a propaganda: pra agüentar o nosso dia a dia, bamba, só bamba.



Starsax
- Calçado feito de couro, macio e moderno para época, os calçados Starsax eram sinônimo de liberdade, atitude e prestígio. É impossível esquecer do comercial onde aparece um cara andando nos trilhos de uma viação férrea e que tem ao fundo a majestosa The Hall of Mirrors, do Kraftwerk., sendo a primeira vez que uma música dos pais do synthpop era tocada no Brasil, despertando assim, o interesse do público brasileiro pela sonoridade da banda.
Ocean Pacific - Criado pelo surfista Sydney Tenucci, em 1979, a Ocean pacific se consolidou no mercado por mais de uma década como a maior marca de moda surfe do país, chegando a vender mais de 2 milhões de peças por ano.Cores vivas e belas estampas:essa era a proposta da OP para seus produtos, afinal é impossível se esquecer das carteiras e calças com velcro da OP, onde a gente adorava ouvir aquele barulhinho quando abria o velcro, não é verdade? Ter um produto OP era sinônimo de bem-estar , praia, sol e liberdade.



tags: propaganda, anos 80,


http://www.anos80.com.br

quinta-feira, 10 de maio de 2012